Historia

Arthur Brown (nascido Arthur William Brown em 24/6/1942) é um músico ingês, especializado em rock e muito conhecido por seu estilo extravangante e teatral que teve influência significante em bandas como Alice Cooper, Peter Gabriel, Marilyn Manson, George Clinton, Kiss, King Diamond e Bruce Dickinson, entre muitos outros, seu hit nº 1 nas paradas do Reino Unido, também no Canadá foi a música "Fire", em 1968. Frequentou o Roundhay Grammar School em Leeds e as Universidades de Londres e Reading, Brown estudou Filosofia e Direito, mas em vez destas carreiras, logo preferiu a música. Formou sua 1a banda, Blues & Brown enquanto ainda vivia em Reading. Depois de vagar rapidamente de banda em banda em Londres, Brown mudou-se então para Paris em 1966, onde trabalhou e aperfeiçoou seus talentos cênicos. Durante este período, gravou 2 músicas para a adaptação cinematográfica de Roger Vadim para "La Curee" de Émile Zola. De volta a Londres, por volta de 1966-7, foi membro temporário de uma banda londrina de R&B/Soul/Ska, a futura e lendária The Foundations.
 

The Crazy World of Arthur Brown.


Na época em que The Foundations assinaram um contrato com a Pye Records, Brown deixou o gbrupo e formou sua própria banda, "The Crazy World of Arthur Brown". A formação original incluía Vincent Crane (organista e pianista), Drachen Theaker (baterista) e Nick Greenwood (baixista).  Brown logo conseguiu uma reputação por suas performances estranhas, que incluíam uso de capacetes de metal em chamas e outros objetos perigosos que volta e meia resultavam em acidentes, como numa rápida aparição da banda do Festival de Windsor em 1967, quando usava pendurada na cabeça um coador ensopado de metanol. 2 espectadores jogaram cerveja no conteúdo, que caiu na cabeça do músico e os três ficaram gravenmente feridos. Mesmo assim, as chamas se tornariam uma verdadeira assinatura de Arthur Brown. Outra ocasião, num show na Itália, causou a sua deportação, após um show em que o cantor se paresentou nu e ateando fogo ao proprio cabelo. A maquiagem exagerada de Brown também se tornou notavelmente famosa e foi copiada por Alice Cooper, Kiss, Marilyn Manson, entre outros. Em 1968, o álbum de estréia "The Crazy World of Arthur Brown", produzido por Pete Townshend, do The Who, e Kit Lambert, empresário da mesma banda, na gravadora Lambert and Chris Stamp, tornou-se coqueluche em ambos lados do Atlântico. Contava com o surpreendente hit "Fire" e uma versão de "I Put a Spell on You" de Screaming Jay Hawkins, um showman tão bizarro quanto Brown. O single de "Fire" vendeu mais de 1 milhão de cópias, e logo ganhou disco de ouro. O próprio incendiário verso de abertura da música, "I am the God of Hellfire" [sou o deus das chamas do inferno], tornou-se inflência ouviada em várias outras músicas, notavelmente a antífona-rave "Fire", do The Prodigy, em 1992. A mania de apresentações incendárias de Brown causou-lhe outros diversos problemas, inclusive a expulsão de uma turnê de Jimi Hendrix. Noutro de seus shows, Brown esperou até o pôr-do-sol e, enquanto sua banda apoio permanecia tocando, ele fazia uma performance suspenso por um guindaste, com um traje feito de chapas de metal embebidas em fluído de isqueiro, soltando faíscas sobre o palco abaixo. Brown percebia que seu estilo pirotécnico de palco poderia causar incêndios incontroláveis e vários danos em seus shows, então sempre fazia acordos pedindo medidas de segurança aos organizadores. Theaker teve de ser substituído por causa de uma crise de aerofobia em 1968, pelo baterista Carl Palmer, que mais tarde iria para a 2a turnê americana da banda Emerson, Lake & Palmer em 1969, enquanto o tecladista Vincent Cane precisou de uma saída rápida da banda. No entanto, Crane e Palmer largaram o grupo em junho de 1969 para formar o Atomic Rooster, o que determinou o fim de
 

Arthur Brown's Kingdom Come.


Apesar de nunca ter alcançado outro sucesso comercial como o de "Fire", Brown lançou 3 álbuns com sua nova banda Kingdom Come no início dos 1970s. Tocavam uma mistura de rock progressivo com atuações teatrais dementes, de maneira que as apresentações ao vivo com performances de Brown simulando crucificações e uso de seringas hipodérmicas causaram muita polêmica. O 3º e último album do Kingdom Come, "Journey"(1973), é um dos pioneiros (se não o primeiro) no uso de caixas de som e baterias eletrônicas especialmente na faixa "Time Captives". 
 

Fim de Carreira.


Nos anos seguintes, Brown trabalhou em diversos álbuns solo e também contribuiu com os vocais de "The Tell-Tale Heart", no álbum conceitual do The Alan Parsons Project baseado na obra de Edgar Alan Poe. Em 1975, ele fez uma pequena porém significativa atuação na ópera-rock "Tommy" do The Who, como "O Sacerdote". Em 1977 Brwon tocou numa turnê com o ex-tecladista (sintetizador) do Tangerine Dream, Klaus Schulze (como pode ser ouvida no álbum "...Live..."), logo em 1979, o incansável incendiário auxiliava nos vocais dl álbum "Dune", de Schulze. Nos 1980s, Brown mudou-se para Austin, Texas, e obteve mestrado em Direito. Em 17/1/1987, fez uma performance de "Fire" no segmento "Flashback" do programa de TV "Solid Gold". Junto com Jimmy Carl Black, baterista da formação original de Frank Zappa and The Mothers of Invention, Brown trabalhou como pintor e carpinteiro por alguns anos, e juntos eles lamçaram o álbum "Brown, Black & Blue" em 1988. Nos 1990s, com outro colega advogado, Jim Maxwell, Brown fundou o Healing Songs Therapy, um serviço únci que culminava na criação de músicas especialmente feitas para cada cliente, baseadas em seus problema emocionais. Brown voltou à Inglaterra em 1996. Em 1997 regravou "Fire" com a banda alemã Die Krupps. Em 1998, ele fez uma performance narrativa no álbum "The Chemical Wedding" de Bruce Dickinson, numa leitura de proções de 3 poemas de William Blake, além de uma performance cênica no papel de "Satan" no clipe de "Killing Floor", também de Dickinson. O performático artista também apareceu várias vezes na TV, como convidado do programa "Mystical Machine Gun", em 1999. Mas o músico-ator passou um tempo num giro de 180 graus em suas direções musicais, ao formar uma banda acústica e sair em turnê com Tim Rose em 1999. A formação incluía Stan Adler (violoncelo e baixo) e Malcom Mortimore (percussão); e a produção do álbum "Tantric Lover" (2000). Como os integrantes não puderam ficar juntos por muito tempo, Brown formou uma nova banda com o guitarrista Rikki Patten e o multi-instrumentista Nick Pynn, Em 2002, Robert Plant pediu a ajuda de Brown para sua "Dreamland Tour". Nesta época, Patten foi substituído pelo guitarrista Chris Bryant. Brown passou a ter cada vez mais exposição na mídia. Sua banda mudou de nome várias vezes, foi brevemente chamada "Giant Pocket Orchestra", e depois "Instant Flight". Nesse "intermezzo", em 2003, Brown lançou outro álbum inédito, "Vampire Suite", co-produzido por Josh Philips e Mark Brzezcki da banda Big Country, lançado na gravadora de Ian Grant, Track Records. Neste mesmo ano, todo o catálogo anterior de Brown foi relançado pela Sanctuary Records. Brown reuiniu os membros sobreviventes restantes do Kingdom Come (com exceção de Des Fisher) em 2005, para uma apresentação única no The Astoria em Londres, tocando material do antigo álbum do Kingdom "Galactim Zoo Dossier", com um bis para "Spirit of Joy". Brown venceu o prêmio de "Showman do Ano" da revista "Classic Rock". Em 2007, Brown e Pynn relançaram "Voice of Love" na gravadora Côte Basque, e reproduziram várias músicas originais. Em agosto do mesmo ano, num show em Lewes, Sussex, Brown tornou a atear fogo ao proprio cabelo. Enquanto tentava apagar as chamas, outro membro da banda, Phil Rhodes, também se queimou.Mas Brown simplesmente continuou o show logo após apagar o fogo e perder algumas mechas de cabelo. 

Também atuou como um sacerdote no clipe da música "It It Just Me?" do The Darkness. Em 2010, Arthur Brown também tocou nos festivais de Glastonbury em Glade, e no Lounge on The Farm (com Lucie Rejchrtova como tecladista). Em 10/6/2011, pouco depois do 69º aniversário, fez um show de 2 horas no Ray Davies Meltdown Festival no Queen Elizabeth Hall, a convite do cantor e compositor Z-Star para um dueto.
 

Associção com o Hawkwind.


Arthur Brown teve várias associações com The Hawkind. Em 1973, ele cantou para várias performances junto com o vocalista da banda, Robert Calvert, mais outro músicos, para a gravação do álbum Captain Lockhead and the Starfighters. Em 2001 e 2002 Brown atendeu diversos convites para cantar em shows do Harwkind, logo depois saiu em turê com eles, como vocalista convidado. Na turnê de 12/2002 do Hawkind, várias músicas do Kingdom Come foram apresentadas nos shows, além de "Song of The Gremlin", que Brown cantou no "Captain Lockhead and the Starfighters" (documentado no DVD do Hawkind, Out of the Shadows".

Curiosidades

Brown também trabalhou como vocalista em 2 faixas do álbum de estúdio do Harkind "Take me to Your Leader" (2005). Uma foi a narração em "A Letter to Robert", onde Brown relembra uma conversa com Robert Calvert. Arthur continua sua associação com o Hawkind, num auxílio numa turnê pelo Reino Unido comemorando os 40 anos da banda em 2009.

Integrantes

Patricia Dallio (Pianos)

Alain Eckert (Guitarra, Vocais)

Gilles Renard (Saxofones)

Gérard Hourbette (Viola, Violino)

Jean-Pierre Soarez (Trompete, Percussão)

Thierry Zaboitzeff (Baixo, Violoncelo, Vocais) 

Outros Integrantes

 

Michel Berckmans (Oboé, Basoon)

Franck Cardon (Violino)

Daniel Denis (Percussão)

Thomas Michel (Saxofones)

Didier Pietton (Percussão, Saxofone: Alto, Saxofone: Tenor)

Thierry Willems (Pianos) 

André Mergenthaler (Violoncelo, Sax Alto, Baixo, Vocais)

Mireille Farmer / Midi Marimba (Parcurssão Elétrica, Teclado)

Emma Stephenson Poli (Teclado)

Kela Canka (Viola)

Philippe Colpin (Engenheiro, Mixing)

Laurent Dailleau (Theremin)

Jean-Paul Dessy (Conductor, Management)

Sigrid Van Den Bogaerde (Violoncelo)

Serge Bertochi (Sax, Tubos)

Laurence Chave (Percussão Eletrônica)

Yukari Hamada-Bertochi (Samples, Teclados)

Kasper T. Toeplitz (Baixo)

Discografia

Álbuns de Estúdio

1969 - Strangelands - Link

BBC Sessions (1968) - Link

1968 – The Crazy World of Arthur Brown (com o The Crazy World of Arthur Brown) - Link

1971 – Galactic Zoo Dossier (com o Kingdom Come) - Link

1972 – Kingdom Come (com o Kingdom Come) - Link

1973 – Journey (com o Kingdom Come) - Link

1975 – Dance - Link

1977 – Chisholm in My Bosom - Link

1979 – Faster Than the Speed of Light ( Vincent Crane) - Link

1981 – Speak No Tech ( Craig Leon em 1984 como The Complete Tapes of Atoya) - Link

1982 – Requiem - Link

1988 – Brown, Black & Blue ( Jimmy Carl Black) - Link

1989 – Strangelands (gravado em 1969) (The Crazy World of Arthur Brown) - Link

1993 - The Joiners, Southampton - Link

2000 – Tantric Lover ( The Crazy World of Arthur Brown) - Link

2003 - Fire The Arthur Brown Story - Link

2003 – Vampire Suite ( The Crazy World of Arthur Brown) - Link

2007 – The Voice of Love - Link

2012 – The Magic Hat - Link

Álbuns Ao Vivo

1973 - Time Captives Live in Manchester - Link

1993 – Order From Chaos ( The Crazy World of Arthur Brown) - Link

1994 – Jam (gravado em 1970) ( Kingdom Come) - Link

2002 – The Legboot Album - Arthur Brown on Tour - Link

2011 – The Crazy World of Arthur Brown Live at High Voltage - Link

                                                                                                                                 Vídeos

                                                                                                                         

 
 
 
 
 

SIGA nossas redes

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram

© 2018-2019 | GeraRock® - Todos os direitos reservados