5582697802

Historia

William Emanuel "Billy" Cobham (Nascido em 16 de maio de 1944, Panamá) é um baterista, compositor e bandleader panamenho-americano de jazz, que mora na suíça desde o fim dos anos 70. Cobham ganhou fama no fim dos anos 60 e início dos 70 tocando com o trompetista Miles Davis e na banda de jazz fusion Mahavishnu Orchestra. De acordo com o Allmusic, Cobham é “normalmente aclamado como o maior baterista de fusion, com um estilo influente que combina poder explosivo e extrema precisão”.
 

Início da Vida e Carreira


Nascido no Panamá, Cobham mudou-se com sua família para New York City, durante a sua infância. Baterista desde a sua juventude, Cobham estudou na High School of Music and Art, em New York, formando-se em 1962. Ele tocou na banda do Exército Americano de 1965 a 1968. Logo após a sua dispensa, Cobham juntou-se a banda liderada pelo pianista Horace Silve, por um ano, também tocando ou gravando com o saxofonista Stanley Turrentine, organista Shirley Scott e guitarrista George Benson.

Jazz Fusion


Cobham passou a tocar Jazz Fusion (uma mistura de elementos de jazz, rock e funk), tocando e recordando com Becker Brothers e com o guitarrista John Abercombie, antes de gravar e tocar em turnê com o trompetista Miles Davis. Dentre outros, Cobham gravou com Davis o clássico “A Tribute to Jack Jonhson” (1971). Cobham é um dos primeiros bateristas a tocar open-handed lead (em português: percussão de mão aberta): um baterista que toca um set destro, mas usa a mão esquerda no hi-hat, em vez de cruzar com a direita (e também tem o seu ride cymbal no lado esquerdo, em vez do direito tradicional). Ele normalmente toca com multiple toms and double bass, sendo conhecido nos anos 70 pelo seu enorme drum kit.  Em 1970, Cobham tocou no álbum “My Goal’s Beyond”, do guitarrista John McLaughlin. Na sequência ambos fundaram a banda Mahavisnhu Orchestra. Cobham fez diversos shows com a Mahavishnu Orchestra entre os anos 1971 e 1973, gravando dois discos de estúdio, “The Inner Mounting Flame” (1971) and “Birds of Fire” (1973), e um disco ao vivo, “Between Nothingness and Eternity” (1973). As versões originais de estúdio das faixas integrantes do álbum ao vivo foram, posteriormente, lançadas sob o nome “The Lost Trident Sessions” (1999). Em maio de 1973, quando ainda fazia parte da Mahavisnhu Orchestra, Cobham gravou seu primeiro disco solo, “Spectrum”, com o tecladista Jan Hammer (que também fazia parte da Mahavisnhu Orchestra), guitarrista Tommy Bolin (que mais tarde tocaria com o Deep Purple) e baixista Lee Sklar. Pouco depois de sua última turnê com a Mahavisnhu Orchestra, no fim de 1973, cobham tocou bateria para os guitarristas Carlos Santana e John McLaughlin numa turnê por dez cidades nos EUA para promover o disco do duo “Love Devotion Surrender” (1973), que constava de coveres de Coltrane, músicas originais de McLaughlin e uma versão extendida de “Taurian Matador” do Spectrum, de Cobham. Um show de três horas em Chicago foi passado ao vivo na íntegra por uma rádio local.  Como bandleader e compositor, Cobham gravou uma série de outros discos inovadores de fusion, tais como “Crosswinds” (1974), “Total Eclipse” (1974) e “A Funky Thide of Sings” (1975). Na turnê que originou o disco ao vivo “The Billy Cobham - George Duke Band: "Live" on Tour in Europe” (1976), Billy Cobham afirma ter experimentado projeção astral durante os shows, diz ter flutuado acima e na frente da bateria, vendo si mesmo tocar de uma maneira que ele nunca antes tinha visto. Nos anos 70, Cobham gravou prolificamente para a gravadora de fusion CTI Records, fundada pelo produtor Creed Taylor. Também durante esse período ele foi membro do New York Jazz Quartet. Em 1976, tocou bateria no álbum “To the Heart” de Mark-Almond (Jon Mark e Johnny Almond).
 

Dos Anos 80 aos Dias Atuais


Em 1980 Cobham trabalhou com Jack Bruce, em uma banda chamada Jack Bruce & Friends. Em 1981, ele formou a banda Billy Cobham’s Glass Managerie, com Michael Urbaniak no violino, Gil Goldstein no piano, Tim Landers no baixo e Mike Stern na guitarra. Dean Brown substituiu Stern, que tinha saído para tocar com Miles Davies. Glass Menagerie lançou dois discos pela gravadora Elektra Musician. Em 1984 ele tocou com a banda Bobby and the Midnites, um projeto de Bob Weir (Grateful Dead), com  Dave Garland, Bobby Cochran, Kenny Gradney (Little Feat) e gravaram o album “Where the Beat Meets the".
 

Street” (1984). 


Em 1994, ele se juntou a um elento de all-star no Greek Theatre (Los Angeles) que resultou no disco “Stanley Clarke, Larry Carlton, Billy Cobham, Najee and Deron Johnson Live at the Greek”. O concerto foi predominantemente baseado em composições de Clarke, mas todos os músicos contribuíram com músicas. Em 1998 ele se juntou a banda cover do Grateful Dead, Jazz is Dead. Cobham lançou inúmeros discos solos (em julho de 2005 já eram mais de 30 discos sob o seu nome) e continuou a gravar, fazer shows e a dar aulas de bateria. Em 2006, Cobham lançou “Drum’n’Voice2”, marcando seu retorno ao som jazz-funk dos anos 70. Tocaram no disco Jan Hammer, Buddy Miles, John Patitucci, Jeff Berlin, Dominic Miller, Mike Lindup, Airto Moreira, Frank Gambale, Brian Auger, Guy Barker e a banda Novecento. O CD foi produzido e arranjado por Pino e Lino Nicolosi pela Nicolosi Productions. Em 2009, lançou “Drum’n’Voice3”, com Chaka Khan, Gino Vannelli, George Duke, Alex Acuna, Bob Mintzer, Brian Auger, John Scofield e Novecento, novamente pela Nicolosi Productions. No ano seguinte tocou com John McLaughlin no 44th Montreaux Jazz Festival, na Suíça, pela primeira vez, desde o fim da banda. Em março de 2010, Cobham começou a trabalhar em um novo projeto com o aclamado guitarrista jordaniano Kamal Mussallam. Em agosto do ano seguinte, lançou o disco “Rock the Tabla”, com a participação de A.R. Rahman, Hossam Ramzy, Omar Faruk Tekbilek & Manu Katché. Em dezembro de 2011, começou a dar aulas de bateria online na Billy Cobham School of Drums, vinculada a ArtistWorks Drum Academy.

Curiosidades

Cobham foi anunciado como patrono e artista visitante da escola de bateria Drumtech, de Londres, em junho de 2008. No mesmo ano recebeu o prêmio "Bratislav Bata Anastasijevic" no festival de Jazz de Nisville. 

Integrantes

William Emanuel "Billy" Cobham

 

Discografia

Spectrum (1973) - Link

Crosswinds (1974) - Link

Total Eclipse (1974) - Link

Shabazz (1974) - Link

A Funky Thide of Sings (1975) - Link

Live On Tour In Europe (as The Billy Cobham - George Duke Band) (1976) - Link

Magic (1977) - Link

Inner Conflicts (1978) - Link

Simplicity of Expression- Depth of Thought (1978) - Link

Live: Flight Time (1980) - Link

Observations & Reflections (1982) - Link

Warning (1985) - Link

Picture This (1987) - Link

The Traveler (1994) - Link

Nordic (1996) - Link

Focused (1998) - Link

Live: Mississippi Night (1998) - Link

By Design (1999) - Link

Nordic / Off Color (1999) - Link

Drum 'n' Voice: All that groove (2001) - Link

The Art Of Three (2001) - Link

Culture Mix (2002) - Link

Drum 'n' Voice due 2 (2006) - Link

Fruit From The Loom (2007) - Link

Drum'n'voice 3 (2010) - Link

Palindrome (2010) - Link

                                                                                                                                 Vídeos

                                                                                                                         

 
 
 
 
 

SIGA nossas redes

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram

© 2018-2019 | GeraRock® - Todos os direitos reservados