5582697802 Black Merda | gerarockmp3

Historia

Black Merda (pronunciada "Black Murder") é uma banda de Rock, funk, funk rock, soul psicodélico formada em Detroit, Michigan, iniciou seu trabalho no inicio dos anos 60, parou da decada de 70 e voltou a se reunir em 2005, os membros da banda são o guitarrista Anthony Hawkins, o baixista VC L. Veasey e guitarrista Charles Hawkins , mais o baterista Tyrone Hite. Anthony Hawkins e VC Lamont Veasey eram amigos de infancia e conheceram Tyrone no ginásio em Detroit no inicio dos anos 60. Hawkins e Veasey trabalhavam com frequência como músicos em Detroit para empresas como  Fortune Records, Golden World Studios e com o produtor Don Davis, enquanto Hite trabalhava em sessões originalmente como cantor antes de assumir o comando da bateria. Hawkins, Veasey e Hite inicialmente formaram em uma banda chamada The Impacts, com outros musicos de soul e R&B filiados ao Motown e Brunswick Records e em 1965 foram chamados para o single de Edwin Starr - "Agent Double-O Soul". Starr os contratou permanentemente como banda de apoio renomeando-os para Soul Agents e nesse periodo Victor Stubblefield e Gus Hawkins  se juntaram a eles em algumas apresentações, em 1967 o Soul Agents gravou com Starr os singles "Twenty Five Miles" e "War". Hawkins e Veasey (que escreviam musicas juntos desde os 14 anos) também participaram em 67 das composições “I Will Fear No Evil” de Robert Ward (produzida por Don Davis) e "My Love Is Strictly Reserved For You."Hawkins, Veasey, and Hite (equanto trabalhavam com  Starr) começaram a sofrer influencias do Cream, The Who e Jimi Hendrix e se afastaram do R&B . Ainda conhecidos como Soul Agents, em 1967 o trio fez o que até hoje é conhecido como primeiro cover de “Foxy Lady” do Hendrix, hoje essa gravação é considerada item de colecionador. Durante esse periodo, Charles Hawkins, irmão mais novo de Anthony, entrou para a banda como segundo guitarrista. O quarteto continuou a trabalhar com Edwin Starr, como Soul Agents, Starr aprovou a mudança do som para uma base psicodélica com rock e funk. Mas em 68 eles decidiram criar uma nova identidade, mudando para uma banda independente considerando um novo nome: Murder Incorporated, remetendo a uma organização criminal, mas mudaram para Black Murder em decorrencia aos violentos eventos da época realizados pela comunidade afro-americana. Refletindo a respeito da quantidade de jovens mortos pela Ku Klux Klan em Detroit e no sul do país, Veasey queria um nome chocante para a banda, que lembrasse o publico a terrivel situação, mais tarde mudaram para Black Merda, como um giria utilizada na época pelos Afro-Americanos. Black Merda continuou por mais um tempo com Starr, tocando também com Temptations em 69 e Eddie Kendricks do Temptations resolveu produzir a carreira independente da banda, durante esse periodo eles tocaram com o cantor Ellington Fuji Jordan gravando o single “Mary Don´t Take Me on No Bad Trip, lançado pela Chess Records se um dos mais populares singles da epoca em Detroit, mas o Black Merda não recebeu os creditos pela gravação. Marshall Chess da Chess Records , estava interessado em ampliar sua conhecida dedicação do rótulo de blues, soul e jazz com mais rock e sons experimentais, Chess lançou  o primeiro album  do Black Merda em 1970 e a banda rapidamente se tornou conhecida pela sua combinação de black rock e funk pesado, mas o album sofreu pela falta de promoção e em 1972 lançaram seu segundo album pela subsidiaria de Cheess, a Janus Records, e na capa o nome da banda foi alterado para Mer-Da, o segundo album também sofreu com a falta de divulgação e os membros da banda se separaram, retornando para o R&B. Uma compilação de raridades entitulada The Psych-funk of Black Merda foi lançada em 2006, assim como os novos albuns Renaissane e em 2009 lançaram Force of Nature. Em 2007 o Detroit Metro Times incluiu a música Cynthy-Ruth como uma das melhores canções de Detroit e em 2010 o seu album de estreia foi considerado o ‘maior sucesso que Detroit deveria ter”.

 

Curiosidades

Em 2005 o selo Funky Delicacies lançou uma compilação do Black Merda - The Folks From Mother´s Mixer e graças a a essa compilação e uma nova atenção ao trabalho da banda, renasceu o interesse sob o black rock do inicio dos anos 70e os irmão Hawkins, juntamente com Veasey reuniram-se em 2005, participando de festivais em Detroit e tambem no Central Park Summer Stage em NY, assim como no Ottawa Blues Festival em 2006

Integrantes

VC L. Veasey (aka The Mighty V !) (Guitarra, Baixo, Vocais Secundários) 

Bobby Smith (Bateria) 

Charles Hawkins (aka Charlie Hawk) (Vocais, Guitarra) 

Anthony "Wolf" Hawkins (Vocais, Guitarra) 

Terry "Thunder" Hughley (Bateria) 

Kenny Tudrick (Bateria) 

Robert Jones (Teclas)

Ex-Integrante

 

Tyrone "Snake" Hite (Vocais, Bateria, R.I.P 2004)

Discografia

Mary, Don't Take Me On No Bad Trip (1968) - Link

Black Merda (1970, relançado em 1996) - Link

Long Burn the Fire (1972, relançado em 1996) - Link

The Folks From Mother's Mixer (2005, compilação) - Link

The Psych-funk of Black Merda (2006, apenas vinil) - Link

Renaissance (2006) - Link

Take a Little Time (2009, single) - Link

Force of Nature (2009) - Link

                                                                                                                                 Vídeos

                                                                                                                         

 
 
 
 
 

SIGA nossas redes

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram

© 2018-2019 | GeraRock® - Todos os direitos reservados