Historia

Black Sabbath é uma banda de hard rock, heavy rock (anos de 1970) e heavy metal (a partir dos anos 1980) formada no ano de 1968 em Birmingham, Reino Unido. Sua formação “histórica” é composta por Ozzy Osbourne (vocais), Tony Iommi (guitarra), Geezer Butler (baixo) e Bill Ward (bateria). Posteriormente, houve numerosas mudanças na banda, e Iommi era o único componente fixo. Embora às vezes, sejam classificados como uma banda de hard rock (Butler definiu o estilo uma vez como blues pesado e distorcido), Black Sabbath é considerado um dos primeiros grupos de heavy metal da história (ao lado do Led Zeppelin) e também contribuíram muito para o desenvolvimento deste gênero. De 1970 a 2000, foram vendidos mais de cem milhões de álbuns, tornando o Black Sabbath uma das mais bem sucedidas bandas de heavy metal, ao lado do Led Zeppelin, Deep Purple, Judas Priest, Iron Maiden, e Metallica. O primeiro trabalho, Black Sabbath, gravado em 1970, foi um grande sucesso (oitavo lugar nas classificações inglesas) devido, em grande parte, à atmosfera histórica de composições como "Black Sabbath", "The Wizard" e "N.I.B.". O disco, para muitos, foi a inauguração de um rock mais original, tanto no sentido sonoro quanto no que se refere às letras. Deep Purple e Led Zeppelin, outras bandas influentes do heavy metal da época, tinham um som mais melódico e mais próximo a outros estilos como o blues e o rock n' roll. A música do Sabbath a princípio tinha características semelhantes, mas com o tempo a banda investiu em um som mais pesado e com temáticas mais obscuras, com referências explícitas a "demônios" e temas envolvendo ocultismo, que era uma novidade e uma polêmica nessa época. O próximo álbum, Paranoid (1970), até hoje o maior sucesso comercial do grupo (primeiro nas colocações inglesas; sete discos de platina e um de ouro), é considerado de grande importância para as bases do heavy metal. O trabalho angariou para o Black Sabbath milhares de fãs em todo o mundo, graças a canções como "Paranoid", "Iron Man", "Electric Funeral" e "War Pigs". Com este trabalho, o grupo foi além da atmosfera sombria das músicas com temas mais maduros. "War Pigs", por exemplo, é uma crítica a políticos considerados responsáveis pelos horrores da guerra e "Iron Man" tem um texto puramente ficção científica.  Em 1971, o grupo publicou o terceiro álbum, Master of Reality, de sucesso notável. Provavelmente foi o álbum mais obscuro e introspectivo da banda. Este trabalho, junto com o Black Sabbath e Paranoid, é considerado o álbum que inspirou o doom metal. Nota-se que o disco possui uma inovação particularmente interessante: Iommi, na verdade, toca com a guitarra em dó sustenido (um tom e meio abaixo da afinação tradicional), assim como Butler no baixo. Essa mudança, segundo declaração do guitarrista, foi feita por dois motivos: para se adaptar ao estilo vocal de Ozzy e para dar um som mais pesado para a sua música (mais tarde, a partir do álbum Heaven and Hell, a guitarra e o baixo são afinadas em ré sustenido). Devido a isso, o Black Sabbath talvez tenha inaugurado a chamada "limitação": uma prática que se tornaria quase uma norma para muitos grupos de rock e metal.  O álbum seguinte, Black Sabbath Vol. 4 de 1972, revelou a primeira de várias alterações no som da formação, devido a uma clara influência do rock progressivo. Um dos pontos fortes do álbum é a balada "Changes", onde Osbourne canta acompanhado por piano e cordas. Canções como "Tomorrow's Dream", "Snowblind" e "Supernaut" ainda mostram seu lado musical mais profundo. Em 1973, a banda publica Sabbath Bloody Sabbath, álbum com a atmosfera caracterizada pelo rock progressivo ainda mais visível. Também conta com a presença de Rick Wakeman do Yes que apareceu nos teclados, como membro externo. Entre as canções mais claramente progressivas pode-se citar "Killing Yourself to Live", "Spiral Architect", "A National Acrobat", e o "clássico", "Sabbath Bloody Sabbath". O disco foi outro grande sucesso e considerado um ponto importante na carreira artística. Uma mudança de gravadora (de Vertigo para a Warner) tinha atrasado o lançamento do seu novo álbum, Sabotage, publicado somente em 1975. Do ponto de vista musical, o álbum é um dos mais variados do grupo, alternando as canções de heavy metal de "Hole in the Sky" e "Symptom of the Universe", para o canto gregoriano de "Supertzar", e sons de pop rock de "Am I Going Insane (Radio)". O próximo álbum, Technical Ecstasy de 1976, foi um álbum de acesos debates com os seus adeptos, devido a um som mais flexível e pela presença de maestro e sintetizadores, embora alguns considerem positivamente o disco como muito ambicioso e inovador, que ajudou a desiludir os fãs do estilo inicial do grupo. Em 1977, após a turnê de Technical Ecstasy, Osbourne deixou o grupo, conseqüência de tristes vicissitudes pessoais, devido a morte do seu pai, além dos problemas derivados da sua dependência de álcool e drogas já impagável. Em um momentâneo regresso de Osbourne, lançam em 1978 o álbum Never Say Die!. Este trabalho segue as pegadas do álbum anterior, com sons eletrônicos e experimentais (Don Airey nos teclados). Em qualquer caso, a resposta foi negativa do público, e garantiu ao álbum o título de um dos piores da formação, sendo a faixa-título, a única a desfrutar de uma boa popularidade entre os seus fãs.Em 1979, devido à irreversível conflito com os outros membros da banda, Osbourne é despedido pela sua tendência para o abuso de drogas e álcool. 

O Black Sabbath com Ronnie James Dio.
 

A despedida de Ozzy Osbourne, no entanto, preocupou a banda, pois ele contribuiu muito para o desempenho das canções e acima de tudo foi um grande animador do público durante os concertos ao vivo, e depois, encontrar um substituto digno foi difícil. Após a sua saída, ele é substituído por Ronnie James Dio, ex-vocalista das bandas Elf e Rainbow. O primeiro álbum com Dio, Heaven and Hell, foi um grande sucesso, permitindo que o grupo voltasse às paradas, e nas vendas foi o melhor resultado da banda desde 1975, com as canções "Neon Knights", "Heaven and Hell", "Die Young" e outros que se tornaram peças significativas de sua discografia. O álbum também foi marcado pela entrada de Geoff Nicholls nos teclados. Embora nem sempre seja reconhecido como um membro oficial do grupo e forçado a desempenhar no "backstage" dos concertos por "razões estéticas" (caso não isolado na paisagem do metal), Nicholls teve, desde então, indiscutível influência sobre o grupo, e mesmo a nível compositivo. A turnê do disco revelou, muito mais tarde, além do carisma do novo cantor, a sua excelente voz e talento. Também durante a tour, Bill Ward teve que sair por razões pessoais (seus pais morreram, um após o outro aliado a grandes problemas com álcool), e foi concluída por Vinny Appice (irmão de Carmine Appice, famoso baterista de Vanilla Fudge, Rod Stewart e King Kobra). Tony Iommi e os membros, com a ajuda de Appice, gravaram o álbum posterior, Mob Rules em 1981, um sucesso que também confirmou o novo estilo adquirido do Sabbath, graças à técnica de Dio. A faixa-título do álbum foi escolhida para a trilha sonora do filme Heavy Metal. A saída e a rápida propagação do bootleg ao vivo, Live at Last (gravada pelo grupo com Ozzy, em uma turnê de 1973), convenceu o grupo a responder com um álbum ao vivo "oficial", Live Evil (1982). À partir desta época, Iommi e Dio entraram em debates acalorados no que se refere a mistura de sons. Houve uma série de controvérsias que convenceram Dio a deixar a banda, levando com ele o baterista Vinnie Appice. 
 

Depois de Dio.

 

A saída de Vinny Appice e de Ronnie James Dio, trouxe instabilidade à banda. Para o papel do baterista, Cozy Powell foi contratado, mas a resposta foi negativa. Esta lacuna foi preenchida pelo oportuno regresso de Bill Ward, porém encontrar um novo vocalista foi mais difícil do que o esperado. A investigação realizada por Iommi e Butler é orientada para Ian Gillan (ex-Deep Purple), que naquele momento estava livre de qualquer compromisso, devido a problemas com a sua voz. Com Gillan como vocalista, foi possível a realização de Born Again (1983), álbum muito mais maciço do que os produzidos com Ozzy e Dio, que, embora queimado pelos críticos, recebendo nota 1,5 em cinco no AMG, registrou um sucesso significativo de vendas e colocado em quarto lugar nas classificações inglesas. Em 1984 Gillan resolve voltar ao Deep Purple e assim termina sua parceria com o Black Sabbath. Com a entrada de Glenn Huges no vocal, é lançado em 1986 Seventh Star. Inicialmente um álbum solo de Iommi, porém, mais tarde, publicado por razões contratuais com a empresa discográfica, sob o nome de "Black Sabbath featuring Tony Iommi". Este álbum, ainda mais, marcou a volta dos teclados, que passaram a ser um instrumento fundamental para o seu novo estilo. No entanto, comparado com Born Again, o álbum teve pouco sucesso. Na fase inicial da turnê em 1986, Hughes deixa a banda, devido a graves problemas com a voz. Ele é substituído por Tony Martin, que foi o vocalista no álbum The Eternal Idol de 1987. Mesmo este álbum sendo considerado de bom nível, não teve o sucesso esperado. Com a entrada de Laurence Cottle no baixo, o Sabbath publicou Headless Cross (1989), álbum que recebeu um bom sucesso, maior do que Seventh Star e The Eternal Idol. Em 1990 (mais uma vez com um novo baixista: Neil Murray do Whitesnake, que já tocou na turnê de Headless Cross), o grupo consolidou esse "renascimento" com outro álbum, Tyr, que vendeu muito bem e que se seguiu em turnê no mesmo ano.

Reuniões (1992-2005, 2011-2113)

Com os resultados alcançados com os álbuns Headless Cross e Tyr, em 1992, Tony Iommi convoca a formação do início dos anos 1980 (do álbum Mob Rules), com Geezer Butler, Ronnie James Dio e Vinny Appice. O álbum que surgiu, Dehumanizer (1992), foi um trabalho de som áspero e levou muito mais do que uma boa opinião pública e crítica. A banda preparou uma turnê muito bem sucedida, inclusive com passagem pelo Brasil. Após nova saída de Dio e Appice, a banda chama Tony Martin e Geoff Nicholls e, com o novo baterista, Bobby Rondinelli lançam Cross Purposes em 1994, que vem com o clássico Cross Of Thorns, acompanhado de Cross Purposes Live, uma caixa de CDs e vídeos, publicado em 1994, e atualmente fora de impressão. Para o ano de 1995, regressa a formação do álbum Tyr, com Cozy Powell e Neil Murray, e lançam o álbum Forbidden, que não foi bem recebido, nem pelo público nem pela crítica. Em 1997, Ozzy deu vida a seu festival Ozzfest. Na última parte do show, Butler e Iommi (e posteriormente, também Ward) apareceram no palco para tocar algumas canções clássicas do Sabbath. Com a formação original, foi gravado em 1998, o álbum duplo ao vivo, Reunion, composto exclusivamente de canções da era Osbourne em versões ao vivo, mas que também incluiu mais duas novas canções de estúdio. Em 2000, a banda é premiada pelo Grammy na categoria "Melhor Desempenho de Metal", graças à canção "Iron Man".  Quando parecia que já tinham chegado ao seu final, e se retirado do cenário musical, em outubro de 2006, é anunciada uma turnê com a formação do álbum Heaven and Hell: Dio, Iommi, Butler e Ward. Em novembro de 2006, Ward abandonou o projeto, sendo substituído por Vinny Appice. Em 3 de abril de 2007, o grupo publica The Dio Years, compilação de canções compostas com Dio, e também contendo faixas inéditas. Eles tocam no Gods of Metal em junho de 2007. Embora pensassem que o projeto Heaven and Hell seria concluído, o grupo permanece unido e lança o álbum The Devil You Know, o primeiro desde o álbum de 1995, Forbidden, e sai em turnê, passando pelo Brasil. No dia 16 de maio de 2010, Ronnie James Dio perde uma batalha contra o câncer de estômago e morre aos 67 anos. A morte de Dio é confirmada por sua esposa, Wendy Dio, que publicou um comunicado na página oficial do músico. Em homenagem a Dio, é organizado um show tributo contando com os vocalistas Glenn Hughes e Jorn Lande (Masterplan). Em 24 de janeiro de 2011, Osbourne dissera que ele e seus ex-companheiros estavam em processo de discussão acerca de uma possível reunião e de gravação de um álbum de estúdio. A partir de 4 de novembro de 2011, o site oficial do Black Sabbath começou a exibir o logotipo com a data 11/11/11 ou 11 de novembro de 2011, dando a entender que tratava-se da data de reunião do grupo, revelando a reunião e a gravação do novo álbum e uma uma turnê mundial.51 Muitos fãs manifestaram descontentamento com um anúncio que dizia que o Black Sabbath estaria lançando um álbum de estúdio após 30 anos, afinal, tal frase apagaria toda a história da banda entre 1980 e 2010. Depois do anúncio da reunião, descobriu-se que Tony Iommi está com câncer, ele foi diagnósticado com linfoma em estágio inicial. Os demais integrantes decidiram junta-se a Tony na Inglaterra para prosseguir com o projeto de trabalhar no novo álbum, que anteriormente estava programado para acontecer em Los Angeles. Em nota, a banda comunicou que "Iommi está atualmente trabalhando com seus médicos para estabelecer o melhor plano de tratamento - o Homem de Ferro do rock & roll continua otimista e determinado a fazer uma recuperação completa e bem sucedida". Alguns shows da turnê foram canceladas e substituídas por apresentações de "Ozzy & Friends". Apenas 3 shows continuam confirmados para apresentações da banda Black Sabbath. A primeira, que aconteceu no dia 19 de maio de 2012, na O2 Academy, em Birmingham. Os outros dois programados para acontecer dia 10 de junho de 2012 no Download Festival, em Derby, Inglaterra, e dia 3 de agosto de 2012 no Lollapalooza, em Chicago, EUA. Nova polêmica surgiu após o anúncio de que o Black Sabbath vai se reunir sem o baterista da formação original, Bill Ward. O anúncio foi feito por meio de uma nota divulgada no site oficial da banda, assinada por Ozzy Osbourne, Tony Iommi e Geezer Butler, os integrantes remanescentes da banda, que estão no Reino Unido trabalhando em um disco novo. Segundo Ward, "os termos do contrato são injustos", o que o levou a recusá-lo. Para novo desgaste junto aos fãs, ao invés de uma investida em renegociação, a banda publicou os dizeres: "Nós ficamos tristes por saber que Bill anunciou publicamente que não vai participar dos planos do Black Sabbath. Nós não temos outra escolha a não ser continuar gravando sem ele, embora as portas estejam sempre abertas". A banda não se manifestou sobre quem substituiria Bill Ward, mas surgiram rumores de que seria Tommy Clufetos, baterista da banda solo de Ozzy, rumores estes que se confirmaram em comunicado oficial algumas horas antes do show. Em 19 de maio deu-se a primeira apresentação da banda, após o anúncio da reunião feito em 11/11/11. Ozzy, Iommi, Geezer e Clufetos apresentaram-se para um público de aproximadamente 3 mil pessoas, capacidade do local. O show não teve banda de abertura, e começou com "Into The Void", do álbum Master Of Reality. Uma parte do local foi reservado para familiares e amigos. O show foi gravado na íntegra, assim como declarações de fãs antes e depois do show e cenas do backstage. Há rumores de que esta e as próximas apresentações marcadas para este ano, 2012, sejam transformadas em documentário. E no dia 12 de janeiro de 2013, foi anunciado o título do novo álbum, 13. O primeiro álbum de estúdio do grupo com Ozzy Osbourne desde 1978 foi lançado em junho pela Vertigo/Universal nos Estados Unidos e pela Vertigo no resto do mundo. A bateria do álbum foi gravada por Brad Wilk (ex-Rage Against the Machine). O álbum foi produzido por Rick Rubin, em sua maior parte em Los Angeles.

Curiosidades

Em 1987, Anthrax interpretou um cover de "Sabbath Bloody Sabbath" no seu EP I'm The Man. A mesma canção foi interpretada por Amon Amarth no seu demo Thor Arise e pela banda Cardigans no álbum Emmerdale.

Integrantes

Ozzy Osbourne (Vocal, 1969-1979, 1997-2006, 2011-At)

Tony Iommi (Guitarra, 1969-2006, 2011-At) 

Geezer Butler (Baixo, 1969–1984, 1990–1994, 1997-2006, 2011-At)

Discografia


1970    Black Sabbath - Link

1970    Paranoid - Link   

1971    Master of Reality - Link

1972    Black Sabbath, Vol. 4 - Link

1973    Sabbath Bloody Sabbath - Link

1975    Sabotage - Link

1976    Technical Ecstasy - Link

1978    Never Say Die! - Link

1980    Heaven and Hell - Link

1981    Mob Rules - Link

1983    Born Again - Link

1986    Seventh Star - Link

1987    The Eternal Idol - Link

1989    Headless Cross - Link

1990    Tyr - Link

1992    Dehumanizer - Link

1994    Cross Purposes - Link

1995    Forbidden - Link

2013    13 - Link

Álbuns ao vivo

1982    Live Evil - Link

1983    The Gillan Tapes Born In Hell Live In Worchester - Link

1995    Cross Purposes Live - Link

1998    Reunion - Link

1998    Reunion CD2 - Link

2002    Past Lives - Link

2002    Past Lives CD2 - Link 

2007    Live at Hammersmith Odeon - Link

2013    Live... Gathered in Their Masses - Link

                                                                                                                                 Vídeos

                                                                                                                         

 
 
 
 
 

SIGA nossas redes

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram

© 2018-2019 | GeraRock® - Todos os direitos reservados