Historia

A história dos Detonautas Roque Clube se mistura com a popularização da Internet no Brasil. Em 1997, os jovens Luis Guilherme e Eduardo Simão se encontraram em uma das inúmeras salas de bate-papo do precário início da internet discada no Brasil. E a simples pergunta de Luis ("Alguém aí toca algum instrumento?"), respondida em seguida por Eduardo, foi a semente para a transformação total da vida de ambos – Tico Santa Cruz morava em Copacabana (RJ) e o mineiro Tchello administrava uma pousada em Ilhéus (Bahia) – esse bate papo foi a senha para a formação da banda que ficou conhecida sob o nome de Detonautas Roque Clube. Após o encontro dos dois precursores no Rio de Janeiro, a banda passou por várias formações, o fato de como a banda foi formada repercutiu no seu nome: Detonautas = detonadores + internautas. Neste mesmo ano, Renato Rocha entrou na formação com a intenção de tocar teclado, mas logo migrou para a guitarra. O início pela Internet virou notícia e no mesmo ano o Detonautas começou a se apresentar. Em 1999 o guitarrista Rodrigo Netto entra para banda, em 2000 o baterista Fábio Brasil, e em 2001 o DJ Cléston, e os Detonautas chegaram à sua escalação clássica. Graças à insistência principalmente de Tico Santa Cruz e à providencial ajuda de seu amigo, Gabriel, O Pensador, a quem DJ Cléston chama de "nosso padrinho", os Detonautas foram conseguindo seu espaço, primeiro nas rádios e depois amadurecendo na estrada que serviram de experiência para a banda. Depois de algum tempo e trabalho, que incluiu a busca de gravadoras com o sua demo (que incluía canções como "Eu Nunca Mais Vou Sem Cueca Para a Praia", "100 Critério", "Você Vai Pagar", "Terra Estranha" e "Rota da Vida"), a banda foi contratada pela Warner Music Brasil, que lançou o disco Detonautas Roque Clube em 2002. Em 2002, os Detonautas lançam o seu primeiro álbum, o homônimo Detonautas Roque Clube, canções de destaque como a polemica "Ladrão de Gravata", "Ei Peraê!!!", "Que Diferença Faz", "O Bem e o Mal", e embalado com os três hits "Outro Lugar", "Quando O Sol Se For" (a música mais famosa da banda), e "Olhos Certos", estas três músicas foram um grande sucesso nacional. No mesmo ano a banda abriu dois shows do Red Hot Chili Peppers, o primeiro no Rio de Janeiro para 10.000 pessoas, e o segundo em São Paulo para 50.000 pessoas no estádio do Pacaembu lotado. Em 2003 os Detonautas venceram o premio VMB de banda revelação, ainda naquele ano abriram três shows da banda australiana Silverchair. Em 2004, foi lançado seu segundo álbum de estúdio, Roque Marciano, que rendeu o primeiro disco de ouro dos Detonautas, com influencias do Hardcore melódico americano, desta vez a banda teve quatro hits, "O Amanhã", "O Dia Que Não Terminou", "Tênis Roque" e "Só Por Hoje", destaque também para as canções "Mercador Das Almas" e "Nada Vai Mudar". No dia 6 de novembro do mesmo ano, na Usina Royal em Campinas, os Detonautas fizeram a gravação do seu primeiro DVD também intitulado Roque Marciano, que inclui duas músicas inéditas, "Diz Quanto é Então", e "D Maior" (esta conta a com participação do grupo de Hip hop DMN). Em 2005, os Detonautas gravaram em parceria com Gabriel o Pensador a canção "Sorria", para o álbum Cavaleiro Andante do cantor rapper. Em 2006, a banda lança seu terceiro álbum de estúdio Psicodeliamorsexo&distorção, marcado por um som mais pesado, denso, sombrio, e, ao mesmo tempo, psicodélico, além de uma forte presença da voz, utilizando influencias do Post-grunge, e do Hard rock, o disco proporcionou à banda suas turnês nacionais com recorde de público e turnês internacionais, destaque para canções como, "Não Reclame Mais", "Apague a Luz", "Assim Que Tem Que Ser", e "Insone" (música com mais de 18 minutos de duração), mas o grande hit foi a balada "Você Me Faz Tão Bem". O CD ainda contem a faixa bônus "The Wrong Life In The Right Way", cantada em espanhol por Tico Santa Cruz, a música também fez parte do documentário “Hijos de la guerra”, da diretora Brasileira Samantha Belmont. No entanto, a faixa mais marcante é a delicada "Tudo Que Eu Falei Dormindo", composta e cantada por Rodrigo Netto, que, em 4 de junho de 2006, aos 29 anos, morreu em um assalto. Uma tragédia marca a trajetória da banda em 4 de junho de 2006. Aos 29 anos de idade, o guitarrista Rodrigo Netto foi assassinado ao passar com seu carro numa importante avenida da Zona Norte do Rio de Janeiro. Os assaltantes queriam o carro, mesmo sem ter reagido Rodrigo levou um tiro na axila que atingiu seu coração. Rodrigo morreu na hora. Além dele, no carro estavam sua avó e seu irmão Rafael da Silva Netto que também foi atingido por dois tiros, sem gravidade. Segundo investigações da Polícia Militar a ordem para o roubo do veículo partiu de traficantes de um morro próximo, entre os assaltantes estava um menor de idade, suposto autor dos disparos contra o carro. Os integrantes tentam superar a dor da perda lembrando dos momentos bons e registrando isso em seus corpos, Tchello, o baixista da banda tatuou em suas costas uma imagem do rosto de Rodrigo como uma forma de homenagear o amigo e Tico Santa Cruz tatuou na costela a assinatura do amigo. A morte abalou profundamente os integrantes da banda, fãs e o meio social. Foi um momento dificil em que os Detonautas se afastaram do palco e da mídia, Tico Santa Cruz passou por problemas que quase o fez sair da banda e acabar o seu casamento, ele relata sobre esse momento como "época perturbada", onde ele perdeu o sentido de viver. A banda passou por uma transformação ideológica e mais do que nunca se envolveu na política e em questões sociais. Para o lugar deixado por Rodrigo Netto, o guitarrista Philippe, que já vinha trabalhando com a banda desde o final de dezembro de 2005, passou a fazer a guitarra base no backstage do palco, em 2007 começou a estar presente junto a banda como músico contratado. E em Novembro de 2008 após um show recebeu o convite para fazer parte da banda. Dois anos após a morte do guitarrista Rodrigo Netto, a banda entrou em atrito com a então gravadora Warner Music Brasil, apos várias brigas, a gota d'água foi quando Tico Santa Cruz se recusou a lançar um álbum acústico, o que gerou em uma rescisão de contrato. Pouco tempo depois os Detonautas assinaram com a rival Sony Music. No mesmo ano, eles entraram novamente em estúdio para gravarem o seu quarto disco, O Retorno de Saturno. Ao contrário do disco anterior, este contém uma influência mais leve e voltada ao Pop rock. O disco contém os hits "O Retorno de Saturno" e "Verdades do Mundo" (uma homenagem ao guitarrista falecido), destaque também para as canções, "Eu Vou Vomitar Em Você", e "Oração Do Horizonte". O álbum recebeu indicação ao Grammy Latino. Este disco é considerado pelos fãs da banda como o marco da volta dos Detonautas. Em 2009, a banda lançou o CD e DVD acústico, a gravação aconteceu no Pólo de Cine e Vídeo no Rio de Janeiro. O repertorio trás alguns hits da banda, além de duas músicas inéditas, “Só Nós 2” e “O Inferno São os Outros”, estas duas canções se tornaram grande sucesso nas rádios. O DVD também contém os covers "Até Quando Esperar" da Plebe Rude, e "Mais Uma Vez" do Renato Russo. Nos dias 4 e 5 de setembro de 2010, os Detonautas embarcaram para o Japão, onde realizaram dois shows, o primeiro uma apresentação na casa noturna Young Adult, emHamamatsu, Shizuoka, e o segundo em Toyohashi para um público de 30 mil pessoas. Em 14 de maio de 2011, na cidade de Ribeirão Preto, o Detonautas registrou suas marcas na calçada da Fama do Rock Brasileiro. Os integrantes de uma das mais importantes bandas brasileiras, representante do rock nacional, gravaram as impressões de suas mãos na RockWalk Brasil, estão eternizados ao lado de bandas como Sepultura, Capital Inicial, Dr. Sin, e entre outras. A banda esta gravando o seu quinto álbum de estúdio, desta vez de forma independente. A música "Sexo Tântrico", uma das canções que fará parte do álbum a ser lançado, foi frequentemente tocada em shows ao vivo, mas em fase de finalização foi deixada de lado pela baixa aprovação dos fãs da banda. No dia 19 de julho de 2011, os Detonautas lançaram em seu website oficial o primeiro single do novo álbum da banda chamada "Combate", liberada para download. A música acabou virando a trilha sonora oficial do canal de lutas de artes marciais Combate (canal). E vira uma espécie de hino de revoluções mundiais, com o seu clipe que mostra conflitos pela democracia ao redor do mundo. Ela já é conhecida em outros países devido a isso. No dia 8 de agosto, os Detonautas lançaram em seu site oficial o segundo single do novo álbum da banda chamada "Um Cara de Sorte" liberada para download, e chegando a tocar em várias rádios antes do lançamento. Além das músicas "Combate" e "Um Cara de Sorte", a banda também disponibilizou gratuitamente as músicas "Sua Alma Vai Vagar Por Aí!", "Conversando com o Espelho" e "Sabemos Fingir", formando o primeiro EP da banda, Detonautas Roque Clube EP, lançado em novembro de 2011.

Os Detonautas se apresentaram no Rock in Rio no dia 2 de outubro de 2011, no mesmo palco que Guns N' Roses, System of a Down, Evanescence e Pitty. E no ano seguinte lançaram o cd e dvd Detonautas Ao Vivo no Rock In Rio.

Curiosidades

Influenciados pelo som do gênero americano, geralmente as letras de suas canções referem-se a amor, violência e corrupção, uma preocupação com a cidadania que marca o perfil de luta social e política da banda.

Integrantes

Formação atual 

Tico Santa Cruz - Vocal, violão e guitarra

Philippe - Guitarra, vocal de apoio

Renato Rocha - Guitarra

André Macarrão - Baixo

Fábio Brasil - Bateria

Cléston - DJ, percussão

Ex-integrantes 

Rodrigo Netto - Guitarra, vocal de apoio †

Tchello - Baixo

Vinicius Linhares - Bateria

Discografia

Álbuns de estúdio 
 

2002 - Detonautas Roque Clube - Link
2004 - Roque Marciano - Link
2006 - Psicodeliamorsexo&distorção - Link
2008 - O Retorno de Saturno - Link

2014 - A Saga Continua (álbum duplo) - Link

                                                                                                                                 Videos

 
 
 
 
 

SIGA nossas redes

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram

© 2018-2019 | GeraRock® - Todos os direitos reservados